AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DA FARINHA DE CARNE E OSSOS UTILIZADA NA AVICULTURA INDUSTRIAL NO NORDESTE DO BRASIL

Authors

  • José Andreey Almeida Teles
  • Francisco Feliciano da Silva Junior
  • Sineide de Oliveira Vilela
  • Rebeka Correia de Souza Cunha
  • Mayara Layssa Timoteo dos Santos
  • Gil Dutra Furtado
  • Aleudson dos Santos Silva

DOI:

https://doi.org/10.32435/envsmoke.201812169-175

Keywords:

Contaminação, Subproduto, Galináceos, Salmonela, Clostridium.

Abstract

O Brasil tem se destacado constantemente na criação de aves, ocupando o terceiro lugar mundial em termos de produção e o primeiro em exportação. O Estado de Alagoas, Nordeste do Brasil, aloja um rebanho de 5.301.712, dos quais 1.354.196 são galinhas. A nutrição de aves é um dos aspectos que têm melhorado bastante ao longo dos anos. O percentual de gastos com alimentação na criação de aves representa uma fatia significativa do investimento, de forma que é crescente a utilização de alimentos alternativos que são os subprodutos de matadouros (farinhas de origem animal como as de carne e ossos) como forma de suprir a demanda de minerais e de proteínas, além de reduzir o custo de produção. Contudo, um grande problema enfrentado muitas vezes pelos produtores de aves é a qualidade microbiológica desses produtos, uma vez que os mesmos podem veicular patógenos que causam grandes impactos na criação de aves. Esse trabalho objetivou analisar microbiologicamente as farinhas de carne e ossos (FCO) utilizadas na avicultura industrial no Estado de Alagoas. Foram avaliadas 179 amostras obtidas em fornecedores distintos. Desse total, 49,16% estavam contaminadas por Clostridium perfringens, representando elevado risco quando de sua utilização na alimentação de aves. A quantidade de farinha de carne e ossos contaminadas com esta bactéria é elevada.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

José Andreey Almeida Teles

Graduado em Medicina Veterinária/Universidade Federal de Campina Grande (UFCG); Especialista em Doenças Infecto-contagiosas dos Animais Domésticos/Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); Mestre em Biociência Animal (UFRPE); Doutor em Ciência Veterinária (UFRPE). 

Francisco Feliciano da Silva Junior

Graduado em Medicina Veterinária/Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); Especialista em Clínica Médica dos Ruminantes/Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP); Mestre em Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Pública/Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP); Doutor em Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Pública/Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). 

Sineide de Oliveira Vilela

Graduada em Medicina Veterinária/Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); Mestre em Ciência Veterinária (UFRPE). Doutora em Ciência Veterinária (UFRPE). 

Rebeka Correia de Souza Cunha

Discente do 8º período do Curso de Nutrição da Faculdade Maurício de Nassau. 

Mayara Layssa Timoteo dos Santos

Discente do 8º período do Curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário Cesmac. 

Gil Dutra Furtado

Discente do 2º período do Curso de Medicina Veterinária da Faculdade Maurício de Nassau; Engenheiro Agrônomo/Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Doutor em Psicobiologia/Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Agrônomo-Sócio da Cooperativa de Agronegócio (COOPAGRO). 

Aleudson dos Santos Silva

Discente do 2º período do Curso de Medicina Veterinária da Faculdade Maurício de Nassau. 

References

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Produção Pecuária Municipal – PPM. Brasília (DF), 2011.

BRASIL. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA. Avaliação microbiológica da farinha de carne e ossos contendo flotado industrial de frigorífico. Comunicado técnico 464. Concórdia (SC), 2007.

CARVALHO, C.M.C. et al. Uso de farinhas de origem animal na alimentação de frangos de corte. Revista Portuguesa de Ciências Veterinárias. v. 107, n. 581-582, p. 69-73, 2012.

GAST, R.K. Paratyphoid Infections. In: Calnek BW. Diseases of Poultry, 10a ed. Ames: Iowa University Press. p. 97-121, 1997.

HOLANDA M.A.C. Avaliação nutricional da farinha de penas hidrolisada na alimentação de frangos de corte. 2009. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife.

JORGE M.A. Cama de frango de corte: como fazer dela sua aliada na prevenção de enfermidades. In: Conferência Apinco de Ciência e Tecnologia Avícolas; São Paulo. São Paulo: Associação Brasileira dos Produtores de Pintos de Corte. p. 21, 1990.

MATIAS, C.F.Q. et al. Utilização de farinhas de origem animal na avicultura. Artigo número 175. Revista Eletrônica Nutritime. 2012; Disponível em: http://www.nutritime.com.br. Acesso em: 10 jun. 2018.

PAULUS, C.; RUCKEBUSCH, J.P. Enterite necrótica (NE) Zootecnica Internacional. Bologna. p. 40-3, 1996.

PEREIRA, L.E.T. Farinha de vísceras de aves em substituição ao farelo de soja na alimentação de suínos em crescimento e terminação. 1993. Dissertação. Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

PESSÔA, G.B.S.; TAVERNARI, F.C.; VIEIRA, R.A.; ALBINO, L.F.T. Novos conceitos em nutrição de aves. XXI Congresso Brasileiro de Zootecnia – ZOOTEC; Maceió (AL). Universidade Federal de Alagoas. 2011.

POLI-NUTRI Nutrição Animal. Farinha de carne e ossos na alimentação de aves e suínos. 2012. Disponível em: http://www.polinutri.com.br. Acesso 26 jun. 2018.

SCHEUERMANN, G.N.; ROSA, P.S. Farinhas de origem animal na alimentação de monogástricos: a qualidade dos produtos define seu potencial de utilização. Boletim Pecuário; 2007 Disponível em: http://www.boletimpecuario.com.br/notes/noticia.php?n

ot=ancora2744.boletimpecuario. Acesso em: 2 jun. 2018.

Published

31/12/2018

How to Cite

Teles, J. A. A., Silva Junior, F. F. da, Vilela, S. de O., Cunha, R. C. de S., Santos, M. L. T. dos, Furtado, G. D., & Silva, A. dos S. (2018). AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DA FARINHA DE CARNE E OSSOS UTILIZADA NA AVICULTURA INDUSTRIAL NO NORDESTE DO BRASIL. ENVIRONMENTAL SMOKE, 1(2), 169–175. https://doi.org/10.32435/envsmoke.201812169-175

Issue

Section

Comunicações Curtas

Most read articles by the same author(s)

> >>