ACOMPAÑAMIENTO DEL TRÁFICO DE MARACUYÁ POR UN PUESTO DE INSPECCIÓN AGROPECUARIO

Authors

  • José Carlos Roseno de Lima Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (SEDAP/PB); Universidade Federal da Paraíba
  • Nadja Helaine de Araújo Universidade Federal da Paraíba
  • Gil Dutra Furtado Universidade Federal da Paraíba; Cooperativa de Agronegócio (COOPAGRO) http://orcid.org/0000-0001-5611-4814

DOI:

https://doi.org/10.32435/envsmoke.20181163-72

Abstract

El tránsito de los productos agrícolas presentan un grado de vulnerabilidad representando un riesgo inminente para las plantaciones, siendo uno de los grandes problemas para la agricultura que es vulnerable a varias especies invasoras exóticas (EIE), pudiendo incurrir en el aumento de los gastos de cultivo y caída en la generación de frutos, además de comprometer y provocar impactos negativos al medio ambiente causados por las medidas de controles químicos que pueden utilizarse.  De esta forma, el objetivo del presente trabajo es estudiar el tráfico comercial de maracuyá que fluye por la barrera fitosanitaria de Tacima, estado de la Paraíba en brasil; y mencionar las plagas y enfermedades fitosanitarias que estas pueden ocasionar. Por medio de una investigación bibliográfica, revisiones documentales, entre otros; fue constatado una disminución en el número de frutos de maracuyá en toneladas entre los años 2012 y 2015. Las barreras fitosanitarias contribuyeron para la educación de los agricultores y la disminución de la posibilidad de transporte de plagas y enfermedades en el local de estudio.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

José Carlos Roseno de Lima, Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (SEDAP/PB); Universidade Federal da Paraíba

Licenciado em Ciências Agrárias/Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Técnico em Agropecuária/UFPB; Técnico da Defesa Agropecuária/Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (SEDAP/PB)

Nadja Helaine de Araújo, Universidade Federal da Paraíba

Licenciada em Ciências Biológicas/UFPB; Mestra em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA)/UFPB

Gil Dutra Furtado, Universidade Federal da Paraíba; Cooperativa de Agronegócio (COOPAGRO)

Engenheiro Agrônomo e Psicopedagogo, Doutor em Psicobiologia e Pós-Doutor em Desenvolvimento do Meio Ambiente. Atualmente é Cooperado da COOPAGRO (Cooperativa de Serviços Técnicos do Agronegócios)

References

ADAPEC (Agência de Defesa Agropecuária do Estado de Tocantins). Fiscalização Do Trânsito De Vegetais. 2017. Disponível em: <http://adapec.to.gov.br/fiscalizacao-do-transito-de-vegetais/>. Acesso em: 28 ago. 2017.

AGED (Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão). Barreiras Zoofitossanitárias. Disponível em: <http://www.aged.ma.gov.br/barreiras-zoofitosanitarias/>. Acesso em: 29 ago. 2017.

AGRODEFESA (Agência Goiana de Defesa Agropecuária). Fiscalização Vegetal. 2014. Disponível em: <http://www.agrodefesa.go.gov.br/post/ver/186686/fiscalizacao-vegetal>. Acesso em: 28 ago. 2017.

ARAÚJO, J.L.P.; ARAÚJO, E.P.; CORREIA, R.C. Análise do custo de produção e rentabilidade do maracujá explorado na região do Submédio São Francisco. Petrolina: Embrapa Semiárido, 2005. (Comunicado Técnico 122).

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 54, de 04 de dezembro de 2007. Aprova a Norma Técnica para a utilização da Permissão de Trânsito de Vegetais - PTV. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2007.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 41, de 01 de julho de 2008. Altera a Lista de Pragas Quarentenárias Presentes e Ausentes. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2008.

BUAINAIN, A.M.; VIEIRA, P.A.; CURY, W.J.M. (Org.). Gestão do risco e seguro na agricultura brasileira. Rio de Janeiro: Funenseg, 2011.

CACHATORI, J.R. Desenvolvimento de Metodologia para o diagnóstico de Pseudomonassyringaepv. aptata, agente causal da mancha bacteriana das folhas de beterraba. 72 f. Dissertação (Mestrado em Sanidade, Segurança Alimentar e Ambiental no Agronegócio). Instituto Biológico, Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, São Paulo. 2011.

DIAS, V.S.; OLIVEIRA, M.R.V.; PAULA, S.V. Risco de introdução de pragas invasoras exóticas na importação de flores frescas. Brasília: EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). (Comunidade Técnico, 68). 2002.

EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). Dados estatísticos do maracujá. 2016. Disponível em: <http://www.cnpmf.embrapa.br/Base_de_Dados/index_pdf/dados/brasil/maracuja/b1_maracuja.pdf>. Acesso em: 26 jun. 2018.

FERNANDES, L.V.P. A efetividade das barreiras fitossanitárias internas: o caso das barreiras nas Centrais de Abastecimento (CEASAS) de Minas Gerais. 52 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Defesa Sanitária Vegetal)–Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2016.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

HILMAN, R. As barreiras fitossanitárias interestaduais no Brasil: localização e avaliação técnica. 57 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Defesa Sanitária Vegetal)–Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2013.

LIMA, J.D.; LIMA, E.Q.; JESUS, J.V.; LEITE, A.M.R.; BATISTA, F.F.; ARAÚJO, R.C.; ARAÚJO, A.E. Situação da bananicultura no município de Bananeiras e indicadores para atividades de formação dos produtores. In: ENCONTRO DE EXTENSÃO, 11., Resumos... João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, 2009, p. 1.

LIMA, J.C.R. Trânsito e risco fitossanitário da cultura da bananeira no posto de fiscalização agropecuário de Tacima - PB. 22 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias)–Centro de Ciências Humanas, Sociais e Agrárias, Universidade Federal da Paraíba, Bananeiras, 2018.

OLIVEIRA, M.R.V.; NEVILLE, L.E.; VALOIS, A.C.C. Importância ecológica e econômica e estratégias de manejo de espécies invasoras exóticas. Brasília: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. 2001. (Circular Técnica, 8).

PARANÁ (ESTADO). Lei nº 11.200, de 13 de novembro de 1995. Dispõe sobre definição e normas para a Defesa Sanitária Vegetal no Estado do Paraná. 1995. Disponível em: <http://www.floresta.ufpr.br/alias/lpf/public_html/legisl34.html>. Acesso em: 29 ago. 2017.

VIANA, F.M.P.; FREIRE, F.C.O.; CARDOSO, J.E.; VIDAL, J.C. Principais doenças do maracujazeiro na região Nordeste e seu controle. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2003. (Comunicado técnico 86).

VIEIRA, M.B. Identificação e Avaliação do Risco de Introdução de Insetos Exóticos no Brasil através da Importação de Bonsai. 33 f. Monografia (Licenciatura em Ciências Biológicas)–Faculdades de Ciências da Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília. 2002.

Published

07/12/2018

How to Cite

Lima, J. C. R. de, Araújo, N. H. de, & Furtado, G. D. (2018). ACOMPAÑAMIENTO DEL TRÁFICO DE MARACUYÁ POR UN PUESTO DE INSPECCIÓN AGROPECUARIO. ENVIRONMENTAL SMOKE, 1(1), 63–72. https://doi.org/10.32435/envsmoke.20181163-72

Issue

Section

Artigos Completos

Most read articles by the same author(s)

> >>